Ter espermas saudáveis nem sempre é possível para a maioria dos homens?

Olha essa dúvida que surgiram nos meios acadêmicos que envolvem os problemas de ejaculação precoce e saúde masculina em todo o mundo. “Será que os homens possuem uma qualidade melhor de espermatozóides quando ejaculam mantendo relações sexuais com mulheres mais novas?

Dizem que isso ocorre por causa da competição dos espermas.

Ter espermas saudáveis nem sempre é possível para a maioria dos homens – já foi comprovado.

O fato é que a quantidade, o movimento e a estrutura contribuem para a saúde do esperma, e de acordo com um estudo recente publicado na revista Evolutionary Psychological Science, essas características podem mudar com novos parceiros sexuais.

“Nossas descobertas são as primeiras a demonstrar que o comportamento do homem e a composição de sua ejaculação mudam em resposta ao estímulo feminino”, os pesquisadores, da Faculdade de Wooster em Ohio, escreveu.

Sabemos que a fisiologia e o comportamento dos homens são influenciados quando estão expostos a novas companheiras.

Um estudo realizado em 2000, por exemplo, mostrou que os homens se sentiam, não apenas, menos excitados sexualmente, mas também menos prazerosos e estimulados, quando se tratava de estímulos eróticos repetidos.

Quando lhes foram apresentados novos estímulos, sua excitação e, consequentemente, a circunferência do seu pênis aumentaram.

Estes resultados estão ligados à fisiologia instintiva do homem, que faz tudo para aumentar sua virilidade quando encontra novas parceiras, melhorando assim suas chances de reproduzirem.

Em um estudo atual, os especialistas procuraram descobrir se os traços da ejaculação dos homens mudaram em resposta aos estímulos femininos familiares ou novos.

Foram recrutados 21 homens heterossexuais com idades entre 18 e 23 anos para assistir a sete vídeos sexualmente explícitos (porno) em uma sala privada a cada 48 a 75 horas por 15 dias.

Os seis primeiros vídeos mostravam a mesma atriz e ator, enquanto o sétimo filme teve uma atriz diferente, porém o mesmo ator. Cada vídeo consistiu em um clipe de três minutos de um vídeo mais longo de 20 minutos e foi jogado em repetir até que os homens ejaculassem.

Os participantes foram instruídos a gravar o tempo que eles começaram a assistir ao filme, o tempo que eles ejacularam, e se todo o seu sêmen ejaculado foi depositado no copo de coleta.

Os pesquisadores também avaliaram o tempo, volume e o número de espermatozoides “vivos” na ejaculação de cada participante. Se algum participante não ejaculou no copo, não foi incluído como parte da pesquisa.

Os resultados revelaram que o tempo que os participantes levaram para ejacular variou entre 4 e 21 minutos. Quando se tratou dos primeiros seis filmes, não houve efeito de habituação, o que significa que ver repetidamente a mesma mulher não aumentou ou diminuiu o tempo de ejaculação. Entretanto, ao ver o sétimo vídeo (com uma nova atriz) os participantes ejacularam mais rápido e com uma qualidade melhor.

Os pesquisadores suspeitam que esses homens tenham maior probabilidade de produzir esperma de maior qualidade quando recebem um novo estímulo feminino por duas razões:

Primeiro – eles acreditam que, hipoteticamente, os homens já tinham fertilizado o óvulo(s) ou tiveram seu esperma armazenado por mulheres com quem eles mantinham relações sexuais.

Segundo – estes resultados estão ligados ao conceito de competição de esperma, que se refere à competição entre o esperma de dois homens diferentes para fertilizar o óvulo de uma única mulher.

Isso ocorre mais em relações sexuais extra-parceiros, ou seja, quando as pessoas têm relações sexuais com outras pessoas além de seu companheiro.

O interessante foi perceber que promover comportamentos mais semelhantes aos cenários sexuais normais. O sexo casual lança luz sobre mais do que apenas o desejo de uma pessoa de ter relações sexuais com mais de uma pessoa, isso também afeta o diagnóstico da infertilidade masculina e pode auxiliar em técnicas reprodutivas.

O que é ejaculação?

A ejaculação do homem acontece – quando o sêmen é liberado do pênis – essa é uma resposta aos estímulos físicos e mentais que o homem recebe, seja em uma relação sexual convencional ou praticando masturbação.

No entanto quando algumas funções do corpo masculino estão desequilibradas ou desajustadas por problemas emocionais ou orgânicos, ocorre a ejaculação precoce que atinge boa parte dos homens em todo mundo.

O corpo humano tem muitas funções, não é tão simples como pode parecer e a ciência por trás de uma ereção e ejaculação envolve diversos órgãos do corpo além dos genitais, incluindo o cérebro e nervos locais.

Quando o corpo masculino é despertado, os sinais cerebrais são enviados para o tecido erétil, conhecido como os corpos cavernosos. O corpo então permite que o sangue flua para os espaços abertos no pênis causando uma ereção.

Depois que a ereção é conseguida, a fricção faz com que o esperma seja espremido da base do pênis e transportado através dos canais deferentes, que são os dutos que enviam o esperma dos testículos à uretra. Durante a ejaculação, as contrações musculares enviam sinais para os sensores de prazer no cérebro do homem.

Quando a ejaculação está completa, a maior parte da ereção é quase imediatamente perdida. Em muitos casos, um homem não pode alcançar outra ereção imediatamente, há geralmente um período de recuperação de cerca de meia hora.

Em outros, alguns homens não conseguem uma ereção, este problema é conhecido como disfunção erétil e por vezes acontece do hoje ter uma ejaculação precoce, isso acontece por falta de controle aos estímulos sexuais. Os dois problemas que citamos podem ser atribuído a uma série de fatores, tanto como pressão alta, diabetes, ansiedade e estresse.

No entanto existe uma vasta metodologia e técnicas para permitir que um homem tenha a oportunidade para durar mais tempo na cama e não fazer veio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *